BEM VINDO! Aviso á tripulação! Aqui inicia-se mais um blog neste oceano tão vasto que é a Blogoesfera.Aqui irão ser trazidos e comentados varios assuntos que acho que sejam de salientar. Sintam-se á vontade para participar ,falem bem ou falem mal mas falem Então apertem os cintos.Vai-se iniciar a viagem. .

02/09/2009

sequestro em Coruche-Presidente da autarquia diz que segurança social sabia do caso de sequestro



Mais uma vez se comprova que a segurança social funciona muito bem no nosso País, se não são maus tratos a idosos em Lares é abusos destes ,é continuarem assim que vão bem.

O presidente da Junta de Freguesia da Fajarda, onde uma idosa e o seu filho deficiente alegadamente estiveram 14 meses em cativeiro, disse esta quarta-feira estar de "consciência tranquila" por ter alertado a segurança social.
Ilídio Serrador afirmou ter sido o "único" a alertar as técnicas da assistência social, "há já alguns meses", considerando "lamentável" que ninguém tenha agido até agora.

"Lamento que as técnicas da acção social não tenham agido perante as autoridades. O meu papel foi alertá-las, porque sentia que algo estava errado", sustentou o responsável, que gere a freguesia da Fajarda há 16 anos.

"Sempre achei aquela família muito estranha", admitiu.

O presidente da junta, que teve conhecimento do caso através de vizinhos das vítimas, ficou "chocado e revoltado" por ter dado o alerta "e ninguém ter feito nada", admitindo, no entanto, que isso pode dever-se ao facto de "a família da detida ter agredido fisicamente as assistentes sociais", disse.

Ilídio Serrano espera agora que haja "justiça" e disponibilizou-se a ajudar as vítimas em conjunto com outras entidades.

"É triste, porque estas coisas afectam sempre o local onde acontecem", acrescentou o presidente da junta, garantindo que a população da freguesia é "humilde e pacífica".


“Levou porrada por fazer chichi na cama”
"Ela contou-me que esteve fechada 15 dias no quarto sem comer nem tomar banho. Quando abriram a porta, levou porrada por ter feito chichi na cama". Este é apenas um dos episódios que Jacinta Formigo, de 66 anos, relatou ao irmão, Joaquim, sobre os maus tratos de que foi alvo – juntamente com o filho Carlos, de 42 anos, deficiente mental profundo – durante mais de um ano. Os suspeitos, filho e nora da mulher, mantiveram-nos em cativeiro 14 meses para se apoderarem do dinheiro da reforma e pensão de invalidez. Ontem à noite, os dois continuavam a ser interrogados no Tribunal de Coruche.


Joaquim Formigo, que alertou as autoridades para este drama vivido na Fajarda, em Coruche, revelou ao CM que foi o próprio sobrinho, Ricardo – um dos suspeito dos maus tratos – quem lhe pediu ajuda. "Ele é culpado por não ter dito nada mais cedo, mas era a mulher dele [Germana] que não o deixava tratar da mãe. Ele tinha medo porque ela ameaçava-o. Ele é bom rapaz e acho que não devia ser castigado". Quanto a Germana, deve ser punida: "Nunca ninguém da família gostou dela. Só queria ficar-lhes com o dinheiro das pensões, mas podia tratá-los bem. Se ela não sair da prisão também não se perde nada".

Carlos, deficiente mental, também não escapava à ira dos dois raptores, entre eles o próprio irmão. "Fecharam-no na casa de banho e ele fazia as fezes na banheira, de onde também bebia água. Isto nem aos animais se faz", diz o tio Joaquim.

O caso já era do conhecimento das autoridades. "Denunciámos o caso a uma técnica de acção social e o assunto ficou entregue. Sei que a técnica e a GNR já tinham tentado ir lá a casa verificar as condições, mas foram impedidos", disse o presidente da Junta de Freguesia da Fajarda, Ilídio Serrador.

VÍTIMAS INTERNADAS

Carlos ainda está no Hospital de Santarém. Jacinta está numa instituição solidária.



O casal que sequestrou uma idosa e o filho deficiente durante 14 meses ficou hoje em prisão preventiva, segundo decisão do Tribunal de Coruche.

Um dos arguidos, suspeito de ter sequestrado a mãe, de 66 anos, vai aguardar julgamento no Estabelecimento Prisional do Montijo, enquanto a sua mulher ficará no Estabalecimento Prisional de Tires.

Elementos da GNR estiveram à porta do tribunal desde a manhã de quarta-feira e tiveram que intervir porque um amigo da família da arguida agrediu fisicamente um dos populares com um pau.

Este que agrediu com um pau e ja é que é tão amigo devia ir fazer companhia ao outro pro Montijo.O que vale é que se tudo correr bem tanto um como o outro vão passar uns dias agradaveis no Montijo e em Tires, que quem la esta ja detido e tem televisão para saber destas noticias ja estão á espera deles.

Sem comentários:

Publicar um comentário