BEM VINDO! Aviso á tripulação! Aqui inicia-se mais um blog neste oceano tão vasto que é a Blogoesfera.Aqui irão ser trazidos e comentados varios assuntos que acho que sejam de salientar. Sintam-se á vontade para participar ,falem bem ou falem mal mas falem Então apertem os cintos.Vai-se iniciar a viagem. .

08/09/2009

Serviço de distribuição de droga em condomínios de luxo


Mais uma vez quem se trama são os paquetes .Quanto aos elementos da alta sociedade que faziam as festas e que traficavam entre eles a Policia deve saber quem são mas por receio ou ordem superior não os pode denunciar , porque ha sempre quem esteja num cargo superior e a quem eles tenham que prestar vassalagem.Qualquer semelhança com o caso do Ballet Rose não é mera coincidencia.


‘Telecoca’ chega à alta-sociedade


Apelidos sonantes, filhos de gente bem colocada, às vezes os próprios. Aspirantes ou já executivos de sucesso, são dezenas os que não dispensam drogas de luxo em noites de Verão. E sem terem de sair à rua, de passar os portões das quintas da Marinha, Bicuda ou Beloura, na Linha do Estoril. Levam-lhes a casa meio quilo de cocaína todas as semanas, cinco mil doses a dividir por todos, que, em média, encomendam por telefone. Só terão agora o incómodo de arranjar novos paquetes. A Judiciária prendeu os últimos dois.
‘Telecoca’ é um confortável esquema de acesso directo e restrito a cerca de vinte consumidores fixos, apurou o CM, que depois se encarregam de partilhar e distribuir droga por amigos e vizinhos nos condomínios de luxo. Tudo para que a seguir a um jantar, numa festa exclusiva, não lhes falte cocaína de qualidade.
Este esquema evita o desconforto do perigo da exposição pública, mas não contaram com um detalhe: os dois traficantes de referência, que vivem em Cascais e conhecem a importância da discrição em alta sociedade, estavam em escuta. E os investigadores da Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes da PJ ouviram tudo: fechar de negócios, encomendas de droga que há meses eram feitas por telemóvel.
Aos 18 e 43 anos, os dois traficantes de Cascais abasteciam-se por semana de cem gramas de cocaína pura para servir os clientes de luxo. Depois de feitas as devidas misturas com substâncias de corte, cerca de meio quilo de droga chegava às vivendas dos condomínios privados por cerca de vinte mil euros a dividir por todos – o grama de cocaína não custa menos de quarenta euros. A distribuição era feita de moto ou de automóvel.
Recolhida prova ao longo de meses, a PJ avançou para duas detenções. Um recolheu em prisão preventiva, o outro tem apresentações periódicas à polícia. Entre os consumidores de alta sociedade ainda não há arguidos, mas serão chamados. A investigação continua.
DISCURSO DIRECTO
'AJUDA A CRIAR NOVOS CLIMAS', Paquete de Oliveira, Sociólogo
Correio da Manhã – São preocupantes os níveis de consumo de droga na alta-sociedade?
Paquete de Oliveira – A droga não funciona apenas em bairros problemáticos. Vários estudos provam que até é mais fácil nos circuitos fechados e privados, como neste caso, porque pouca gente conhece e por isso é mais difícil de ser investigado.
– O que é que procuram no consumo de cocaína?
– Pode haver muitos e variados objectivos, mas sobretudo para ajudar a criar novos climas, diferentes, e que por vezes acabam por ser bem excessivos. Pelo que sabemos, estas festas são muito luxuosas. E a droga ajuda as pessoas a ficarem desinibidas.
PORMENORES
TINHAM TUDO EM CASA
Nas buscas às casas dos traficantes, a PJ apanhou 1200 doses de cocaína e 125 de haxixe. Tinham utensílios para o corte com outras substâncias: prensa, moinho, balança.
ENTRE OS 30 E OS 40 ANOS
Alguns são jovens, mas o perfil dos consumidores de alta-sociedade que a PJ identificou aponta para idades dos 30 aos 40.
ENTREGAS DE MOTO
Ficaram sem dinheiro, dois automóveis e a moto com que se deslocavam para levar a droga.

Sem comentários:

Publicar um comentário