BEM VINDO! Aviso á tripulação! Aqui inicia-se mais um blog neste oceano tão vasto que é a Blogoesfera.Aqui irão ser trazidos e comentados varios assuntos que acho que sejam de salientar. Sintam-se á vontade para participar ,falem bem ou falem mal mas falem Então apertem os cintos.Vai-se iniciar a viagem. .

08/09/2009

Clube Bilderberg responsavel pelo afastamento de Manuela Moura Guedes ?

Mais uma nova teoria sobre o afastamento da Manuela Moura Guedes.

Clube Bilderberg por detras do caso do Afastamento de Manuela Moura Guedes da tvi?Quem o sugere é um Jornalista que pertenceu á redação da Tvi no seu blog.


"Em Dezembro de 1981, um ano após Camarate, Juan Luiz Cebrián, actual dono da TVI, assinou o prefácio da biografia oficial do então primeiro-ministro de Portugal e agora dono da SIC, Pinto Balsemão. E disse então o espanhol que a amizade entre ambos remontava a 1968 e que sempre sobrevivera à passagem do tempo e distância. Ainda hoje sobrevive, tanto mais que são ambos figuras destacadas do Clube Bilderberg (o tal onde os grandes empresários "entrevistam" os políticos mais convenientes aos seus interesses particulares e depois, com o seu dinheiro e meios de Comunicação Social, manipularão a Opinião Pública através de tácticas informativas bem conhecidas de modo a levar alguns a serem eleitos e outros não...). José Sócrates também esteve numa reunião desse grupo (ver livro da Eduarda Maio: "O Menino de Ouro do PS"), mas o caso Freeport é incómodo. Tudo indica que, agora, Manuela Ferreira Leite, que esteve no encontro do Grupo Bilderberg deste ano (ver entrevista no "Público" a 16 de Maio - http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1381038 ), seja a "escolhida" para ser a eleita.O facto de ir a esse encontro é um sinal de que vai ser primeira-ministra, pois todos os últimos primeiros-ministros foram a um desses encontros anuais antes de ganharem as eleições: "Não sou supersticiosa e não será por isso que vou ser primeira-ministra, vou ser porque vou ganhar as eleições." E os Órgãos de Comunicação Social de Cebrán e Balsemão vão manipular a Informação para conseguirem isso... E, já agora, com uma ajuda do casal Moniz, que assim repete a "graçola" de 2004, iniciada com Marcelo Rebelo de Sousa. Só que desta vez contra Sócrates. Ah, é verdade, Moniz, quando era director da RTP, foi também a uma reunião do Grupo Bilderberg, a convite de Balsemão. Foi em 1987, cinco anos antes da abertura da SIC..."

Para quem ainda não conhece o grupo Bilderberg ou para quem pretende aprofundar o conhecimento sobre ele deixo aqui alguns Textos retirados de varias paginas da internet.Cada leitor devera retirar a sua propria analise.




O Clube de Bilderberg é uma conferência anual não-oficial cuja participação é restrita a um número de 130 convidados, muitos dos quais são personalidades influentes no mundo empresarial, acadêmico, mediático ou político. Devido ao fato das discussões entre as personalidades públicas oficiais e líderes empresariais (além de outros) não serem registradas, estes encontros anuais são alvo de muitas críticas (por passar por cima do processo democrático de discussão de temas sociais aberta e publicamente). O grupo de elite se encontra anualmente, em segredo, em hotéis cinco estrelas reservados espalhados pelo mundo, geralmente na Europa, embora algumas vezes tenha ocorrido no Estados Unidos e Canadá. Existe um escritório em Leiden, nos Países Baixos.
Participantes do Bilderberg incluem membros de bancos centrais, especialistas em defesa, barões da imprensa de massa, ministros de governo, primeiros-ministros, membros de famílias reais, economistas internacionais e líderes políticos da Europa e da América do Norte. Alguns dos líderes financeiros e estrategistas de política externa do Ocidente participam do Bilderberg. Donald Rumsfeld é um Bilderberger activo, assim como Peter Sutherland, da Irlanda, um ex-comissário da União Européia e presidente do Goldman Sachs e British Petroleum. Rumsfeld e Sutherland compareceram em conjunto em 2000 na câmara da companhia de energia suíço-sueca ABB. O político e professor universitário Jorge Braga Macedo e Francisco Pinto Balsemão são dois exemplos portugueses. O ex-secretário de defesa dos Estados Unidos e atual presidente do Banco Mundial Paul Wolfowitz também é um membro, assim como Roger Boothe Jr,George Soros; Henry Kissinger; David Rockefeller e família; George Bush e família; Bill Clinton e Hilary Clinton; Thimoty Geithner; Susan Rice; Gen James L. Jones; Thomas Donilon; Paul Volcker; Admiral D C Blair; Robert Gates; James Steinberg; Richard M Haass; Alan Greenspan; Richard C Holbrooke; e muitos outros. O presidente atual do grupo é Etienne Davignon, empresário e político belga.


Bilderberg

Grupo secreto de banqueiros internacionais, que reúne membros importantes de vários países, pessoas influentes na política e na imprensa.
Fundado em 1954 todos os anos têm reuniões secretas, não divulgadas na imprensa, planeiam guerras, estratégias, nova ordem mundial, situação económica mundial, etc.
O grupo influencia certas organizações como Banco central Europeu, Banco mundial, Nato e outras.
Bill Clinton, Tony Blair pertencem ao grupo.
De Portugal pertencem Pinto Balsemão, Jorge Sampaio, Santana Lopes, Durão Barroso, José Sócrates. (E talvez mais).
A última reunião em Portugal foi em 1999, em Sintra.
O grupo coexiste com outras formações poderosas e de composição complexa, como o G-8 ou o FMI.
O último encontro teria sido em Itália, Junho de 2004, Por “coincidência” Durão Barroso esteve em Itália, “foi ver o Papa”, e certamente participou do encontro.


A síntese do Poder Mundial seria composta pelos "controladores", pelos agentes conscientes (lideranças político-partidárias) e agentes inconscientes. Os instrumentos de dominação seriam as ideologias, o terrorismo, diferenças raciais e regionais, o ambientalismo, o indigenismo, com incentivo aos movimentos de secessão.




Clube Bilderberg

O Clube Bilderberg (CB) foi criado entre 29 e 31 de maio de 1954, na cidade de Oosterbeckl, Holanda. Desde então, os mais importantes banqueiros, industriais, donos de comunicação, políticos, famílias reais europeias e outras personalidades se reúnem anualmente para traçar os rumos do planeta, dentro dos moldes do que seria um governo mundial secreto.

O CB teria sido criado pelo príncipe Bernhard, da Holanda. As reuniões do CB seriam anuais e durariam 04 (quatro) dias e os participantes seriam convidados pelo Conselho Diretivo do Clube, com um máximo de 130 delegados, sendo 2/3 europeus e o restante dos EUA e do Canadá. Essa elite das nações ocidentais é composta de financistas, industriais, banqueiros, políticos, líderes de corporações multinacionais, presidentes, primeiros-ministros, ministros das Finanças, secretários de Estado e lideranças militares. Em 1991, Clinton teria sido enviado a Moscou pelo CB para que "enterrassem" os relatórios da KGB sobre sua juventude e suas atividades contra a Guerra do Vietnã, de modo a pavimentar seu caminho à presidência dos EUA.
O objetivo maior do CB seria a construção de uma era pós-nacionalista, na qual prevaleceriam uma economia global, um governo global e uma religião também global.

Há duas hipóteses que abordam as ditas pretensões do CB.

A primeira hipótese seria a reunião da elite econômica e política do mundo Ocidental, para fazer face ao avanço do Comunismo no século XX. Preocupado com o crescimento do antiamericanismo na Europa Ocidental, o polonês Joseph Retinger propôs uma conferência internacional - formalizada com a criação do Clube Bilderberg - em que líderes europeus, dos Estados Unidos e do Canadá, discutiriam seus problemas em comum, envolvendo representantes tanto liberais quanto conservadores (no sentido norteamericano) dos países-membros. Posteriormente, as decisões dessas reuniões seriam repassadas para o G-8 e os encontros anuais de Davos.

A outra hipótese, hoje mais propalada, vê o CB dentro do que se convencionou chamar como "teoria da conspiração", cujo movimento teria pretensões de dominar todo o planeta, estabelecendo um governo mundial, o célebre "governo sombra". Esse objetivo seria alcançado pela Organização das Nações Unidas (ONU) - onde atualmente prevalecem teses esquerdistas -, na construção de uma nova ordem mundial, com moeda, exército e religião comuns, para quebrar a espinha dorsal da soberania das nações emergentes ou subdesenvolvidas - especialmente aquelas detentoras de reservas estratégicas, como minerais, água e biodiversidade, onde o Brasil se destaca em primeiro plano. Isso seria conseguido com o trabalho das ONG - especialmente as ambientalistas -, descaracterização cultural, internacionalização dos costumes, drogas, guerras localizadas, corrupção de políticos, controle da Educação, terrorismo etc.

A síntese do Poder Mundial seria composta pelos "controladores", pelos agentes conscientes (lideranças político-partidárias) e agentes inconscientes. Os instrumentos de dominação seriam as ideologias, o terrorismo, diferenças raciais e regionais, o ambientalismo, o indigenismo, com incentivo aos movimentos de secessão. Enfim, estaria sendo empregada a guerra permanente de 5ª geração, que, no Brasil, teria como objetivo a "balcanização" da Amazônia, com a criação de inúmeras "nações indígenas", depois que forem demarcadas e homologadas todas as Terras Indígenas (TI) da região, que ocultariam imensuráveis reservas minerais e rica biodiversidade. Entre os principais atores frente à "defesa da Amazônia" estaria a realeza britânica, na pessoa do Príncipe Philip e sua ONG Fundo Mundial para a Natureza (WWF). A presença do Príncipe Charles na região, tanto no período da criação da TI Ianomâmi, quanto no da TI Raposa Serra do Sol, seria uma prova irrefutável dessa cobiça.

Junto do CB e da ONU, podem ser citados outros grupos tidos como "controladores", como o Diálogo Interamericano, a Comissão Trilateral, o Clube de Roma, o Fundo Monetário Internacional (FMI), o Conselho de Relações Internacionais (Council on Foreign Relations - CFR), o Grupo dos 30, cujos objetivos seriam varrer do mapa a ideia de soberania nacional e eliminar as Forças Armadas nacionais. Não se pode esquecer o próprio Foro de São Paulo, criado em 1990 por Fidel Castro e Lula da Silva, para "recuperar na América Latina tudo o que foi perdido no Leste europeu", ou seja, transformar o mundo latinoamericano em uma nova União Soviética, tendo por modelo Cuba e o "socialismo do século XXI" do bolivarianismo de Hugo Chávez, presidente da Venezuela. A criação da União de Nações Sulamericanas (Unasul) seria o primeiro passo para atingir esse objetivo estratégico.


Nova ordem mundial

Na verdade, observa-se que existem muitos grupos de interesses, além do Clube Bilderberg e do Diálogo Interamericano, que envolvem nações diversas, que se unem em acordos para preservar seus interesses políticos e comerciais. Além do G-8, da imponente força angloamericana (EUA e Reino Unido), da União Européia, outros atores de vulto surgiram nos últimos anos, como o Japão e a China, esta última à frente dos países emergentes de extensão continental, o chamado "BRIC" (Brasil, Rússia, Índia e China). O incremento do recente acordo EUA-China, iniciado durante o governo George W. Bush, dá a exata medida do que será esse gigantesco G-2 nas próximas décadas. Contrariando a doutrina da "nova ordem mundial", de George Bush (pai), que surgiu após a Guerra do Golfo (1991) e que previa a conversão maciça de nações em democracias - o mesmo "profetizado" por Francis Fukuyama em seu ensaio O Fim da História -, com a implementação da globalização, o que de fato ocorreu foi o contrário, uma volta ao tribalismo, com o esfacelamento de federações, como a União Soviética e a antiga Iugoslávia, e de países, como a então Tchecoslováquia. Até nações prósperas como a Espanha (País Basco) e o Canadá (Questão do Quebec francófono) se vêem às voltas com movimentos separatistas.

Mesmo desconsiderando as teorias conspiratórias, como as do Clube Bilderberg e do Diálogo Interamericano, não se deve esquecer das recentes doutrinas americanas que envolvem direta ou indiretamente o Brasil.

Em 24 de abril de 1975, o Secretário de Estado norte-americano Henry Kissinger assinou um documento intitulado Memorando de Estudo para a Segurança Nacional n° 200. Implicações do crescimento da População Mundial para a Segurança dos Estados Unidos da América e seus interesses ultramarinos (NSSM 2000), que passou a ser conhecido como Relatório Kissinger. Entre outras coisas, dizia tal documento:

"A assistência para o controle populacional deve ser empregada principalmente nos países em desenvolvimento de maior e mais rápido crescimento onde os EUA têm interesses políticos e estratégicos especiais. Estes países são: Índia, Bangladesh, Paquistão, Nigéria, México, Indonésia, Brasil, Filipinas, Tailândia, Egito, Turquia, Etiópia e Colômbia".



Livro: A verdadeira história do Clube de Bilderberg



“A verdadeira história do Clube de Bilderberg” é fruto de uma pesquisa, que durou 13 anos, do jornalista Daniel Estulin, sobre os movimentos secretos de um grupo de políticos, empresários, banqueiros e demais poderosos, que há 50 anos tentam dominar o mundo de forma invisível, controlando governos e organizações internacionais .

Desde 1954, os sócios do Bilderberg representam a elite das nações ocidentais. São os donos dos Bancos Centrais e, que por isso, tem o poder de barganha, influenciando na economia mundial e de países.

Esses poderosos formulam uma nova Ordem Mundial futura, em reuniões secretas anuais, que quando acontecem, seguem-se guerras, derrubadas de governos e surpreendentes mudanças econômicas, sociais e monetárias. Mas entre eles, existem também aqueles que procuram impor limites a esse Clube de forma encoberta.

As medidas que eles adotam nos levam a um movimento em direção a escravidão total. Por mais que não pareça, vivemos uma batalha, invisível e poderosa, e que muitos ignoram. E eles estão ganhando aos poucos, implantando um governo único em todo o mundo, como George Orwell descreve em seu livro “1984“.

Nessa guerra estão os Estados Unidos; a União Européia; os Tribunais; as redes de comunicações, utilizadas como alienadores da população; as câmeras de vigilância (como retrata Charles Chaplin no filme Tempos Modernos); a militarização da polícia e os campos de concentração; tropas estrangeiras espalhadas pelo o mundo; os meios de controle, como movimentos sociais, que controlam a população sem poder de consumo; microchips implantáveis, ou outras formas de controle de massa, como o cadastro de DNA que o governo francês propõem fazer aos estrangeiros; os rastreamentos por satélites (GPS); as contas bancárias e os cartões inteligentes, que contem informações de nosso dinheiro, dívidas, e consumo.

Como Aldous Huxley, em seu romance “Admirável Mundo Novo”, Burrhus Frederic Skinner, cientista do comportamento e do aprendizado humano e colaborador do Instituto Tavistock (organização de pesquisa no campo da psicologia social aplicada), diz que as pessoas são incompetentes para cuidar de seus filhos, propondo que o governo cuide das crianças, separando-as dos seus pais (como são feitos em Kibutz israelenses).

O Clube de Bilderberg tenta fazer com que as pessoas adquiram algo que desejam, em troca de suas liberdades, seduzidas pelo status que os produtos passam e dão as pessoas, viciadas no consumismo estimulado pelas propagandas.

Bilderberg, a Comissão Trilateral, a Mesa-Redonda, o Conselho de Relações Internacionais, as Nações Unidas, o Fundo Monetário Internacional, o Clube de Roma e algumas outras organizações estão juntas nisso. Eles já dominam os meios de comunicação, que deixam de cobrir sobre essa questão além de fazerem poluição de informações.

Segundo Ivan Islênzio, em seu livro “Silêncio”, o excesso de informação se torna um ruído, nos impedindo de nos aprofundar nos assuntos e dificultando a escolha de uma delas para parar e pensar sobre.

Esse poder mundial, faz com que as pessoas sintam-se ansiosas e inseguras, tornando-as angustiadas, pedindo e aceitando uma solução, qualquer que seja. Por isso a existência de gangues e poderes paralelos, crises financeiras, tráfico de drogas e o estado atual do sistema educacional e prisional, não existem por acaso. São esses problemas que fazem os cidadãos legitimarem as ações de seus governo, sejam elas quais forem.

O Clube Bilderberg conseguiu diminuir o coeficiente intelectual médio da população. Seu principal ataque é pelos meios de comunicação, que seduzem as pessoas. Principalmente a TV.

Se continuar assim, o globo será uma grande prisão, por meio de um Mercado Globalizado Único, em que a população é controlada pelas necessidades vitais reduzidas ao materialismo (trabalhar, comprar, procriar, dormir), e entorpecidas pelos meios de comunicação.

A intenção do Clube Bilderberg é atingir uma era pós-nacionalista, sem países, apenas regiões com valores universais.


Quanto ao grupo Bildberg ha que diferenciar o que são os factos e o que é especulação e eu não acredito em bruxas mas que as ha , ha!!
Nada melhor do que esperar pelo desfecho das eleições para ficarmos com uma ideia sobre se o que o jornalista avança sobre a Ferreira Leite ser 1ºMinistra bate certo ou é so especulação
.

Sem comentários:

Publicar um comentário