BEM VINDO! Aviso á tripulação! Aqui inicia-se mais um blog neste oceano tão vasto que é a Blogoesfera.Aqui irão ser trazidos e comentados varios assuntos que acho que sejam de salientar. Sintam-se á vontade para participar ,falem bem ou falem mal mas falem Então apertem os cintos.Vai-se iniciar a viagem. .

10/11/2009

Relatório do INE


A instablidade social que se vai vivendo no nosso País entre outros factores leva a que a media dos divorcios seja de um divórcio em cada dois casamentos.Cada vez estamos mais egoistas,egocentricos e cada vez mais vamos construindo o nosso mundinho onde dificilmente se da o braço a torcer e onde so se ve os direitos e se fecha os olhos aos deveres.
Esta frase tambem é boa indicadora do que se passa na nossa sociedade,"Os estrangeiros devem ser encarados como um factor muito positivo. Estamos dependentes deles, pois fazem filhos "


Demografia: Desde 2005, Portugal registou menos 5443 matrimónios

Um em cada dois casamentos em Portugal acabaram em divórcio durante o ano 2008. Os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) revelam um aumento no número de divórcios ao longo dos últimos quatro anos e uma consequente queda dos casamentos. Em 2008 realizaram-se 43 228 casamentos, menos 5443 do que em 2005, enquanto o número de divórcios aumentou 3996 para 26 572.


'É o resultado do aumento da instabilidade social. Os jovens têm dificuldade em ter emprego, o que lhes permitiria uma maior estabilidade para criar família', explicou ao CM Mário Leston Bandeira, especialista em demografia, realçando os primeiros casamentos, que representam 76,6 por cento do total verificado em 2008: 'Há uns anos essa percentagem era muito superior. Tem vindo a descer como um rastilho de pólvora.'

Os casamentos católicos também têm vindo a perder importância na sociedade portuguesa. Se em 2005 existiram 26 809 celebrações, passados cinco anos esse número desceu para 19 201.

Outro destaque do relatório do INE são os casamentos entre portugueses e estrangeiros, que aumentaram para 13 por cento em 2008 (5603). Em 2005 verificavam-se 3909 casamentos, o equivalente a 8,1 por cento dos 48 671 realizados. 'Isto é um óptimo indicador. Portugal está numa situação de asfixia e os estrangeiros devem ser encarados como um factor muito positivo. Estamos dependentes deles, pois fazem filhos e são uma ajuda preciosa para suportar a nossa sociedade', afirmou Mário Leston Bandeira.

SALDO POSITIVO DE 314 NASCIMENTOS

A população em Portugal registou um novo abrandamento do crescimento em 2008, mas os nascimentos voltaram a ser superiores às mCortes. Em 2007, o número de mortes registadas tinha sido superior aos nascimentos, o que aconteceu pela primeira vez em 90 anos. Em 2008, os nascimentos atingiram 104 594 (contra 102 492 em 2007), enquanto as mortes foram 104 280, significando um saldo natural de 314 e uma taxa de crescimento praticamente nula.

OUTROS DADOS

443 102 estrangeiros legais em Portugal.

72 826 pedidos de autorização de residência.

10 627 250 é o número da população do País.

10 241 filhos de mães estrangeiras.

75,49 anos de esperança média de vida para homens.

81,74 anos de esperança média de vida para mulheres.

28,4 anos é a idade da mulher ao primeiro filho.

30,2 anos é a idade média da mulher que já foi mãe.

2,26 anos é o aumento da esperança média de vida

Sem comentários:

Publicar um comentário