BEM VINDO! Aviso á tripulação! Aqui inicia-se mais um blog neste oceano tão vasto que é a Blogoesfera.Aqui irão ser trazidos e comentados varios assuntos que acho que sejam de salientar. Sintam-se á vontade para participar ,falem bem ou falem mal mas falem Então apertem os cintos.Vai-se iniciar a viagem. .

20/10/2009

O Rio continua lindo



Achei que devia dar este titulo " o Rio continua lindo" ao post porque foi a 1º coisa que me lembrei quando ouvi esta notícia.
Ainda agora tinham sido nomeados para organizar os Jogos Olimpicos ,e para comemorar grupos de detidos deram a ordem para um confronto entre dois grupos de traficantes rivais onde ate um helicoptero foi abatido.Se estavam á espera de promoção conseguiram-no.Lula da Silva por sua vez ja disse que vai contratar o Rambo e o Chuck Norris para irradicar de vez o narcotrafico do Rio de Janeiro.Se ele vai eliminar o narcotrafico que começe por investigar a propria Policia , ja que o armamento não aparece do nada nas mãos dos traficantes e ha muita gente a lucrar com esse negocio , desde policias a deputados.
No fim quem se lixa é sempre o Zuca mexilhão,ca em Portugal pelo andar da carruagem se não forem tomadas medidas, tambem o + certo é acontecer o mesmo daqui a uns 5 anos mas até la ainda temos tempo não é?


A ordem para os ataques de uma facção criminosa contra outra no passado fim-de-semana, os quais transformaram a zona Norte do Rio de Janeiro num cenário de guerra, partiu de dentro de duas prisões consideradas as mais seguras do Brasil. Fontes da polícia carioca afirmaram que a ordem para os traficantes do Morro de São João invadirem o Morro dos Macacos, controlado por uma facção rival, partiu da Penitenciária de Segurança Máxima de Catanduvas, no estado do Paraná, e teve o apoio de presos da Penitenciária de Alta Segurança de Campo Grande, no estado do Mato Grosso do Sul. Nos ataques morreram 19 pessoas e foi abatido um helicóptero da polícia.


Segundo a polícia, a ordem para atacarem o Morro dos Macacos e tomarem os pontos de venda de droga à facção rival foi dada aos traficantes do Morro de São João por Marcinho VP, líder histórico da facção criminosa Comando Vermelho, preso em Catanduvas. Luís Fernando da Costa, conhecido por Fernandinho Beira-Mar, preso em Campo Grande, encarregou-se de armar homens seus para reforçar o poder de fogo dos homens do seu aliado Marcinho VP.

Mais de cem criminosos armados participaram na invasão ao Morro dos Macacos e dezenas de homens ficaram responsáveis por desencadear ataques a autocarros de passageiros noutras favelas da cidade, para desviarem a atenção da polícia.

Os traficantes presos queriam controlar a Favela dos Macacos para ter controlo de uma zona com acesso fácil a toda a área metropolitana por ficar perto da auto-estrada Grajaú-Jacarepaguá, do túnel Rebouças e da Linha Amarela, que liga ao aeroporto.

HABITANTES REVOLTADOS COM A POLÍCIA

Os habitantes do Morro dos Macacos, que ficaram no meio do fogo cruzado entre quadrilhas de traficantes e entre estas e a polícia, estão revoltados com as forças da ordem. Por um lado, porque o reforço policial demorou muito a chegar e, por outro, porque três jovens inocentes, segundo a família, assassinados pelos traficantes foram tratados como criminosos.

Com efeito, a polícia recusou-se a fazer perícia e a registar os crimes e incluiu os jovens, abatidos quando regressavam de uma festa, na lista de criminosos.

APONTAMENTOS

MÍSSIL

O helicóptero abatido – matando dois polícias – pode ter sido atingido por um míssil lançado por um traficante.

CEM MILHÕES

A polícia do Rio poderá receber cem milhões de reais (39 milhões de euros) do governo para reforçar tropas e meios.

SEM ORELHAS

Vários cadáveres de vítimas mortas pelos criminosos não tinham orelhas.

"VIOLÊNCIA É UM MOTIVO DE PREOCUPAÇÃO": Celso Marcos Vieira de Souza Embaixador do Brasil sobre a violência no Rio de Janeiro e os J. Olímpicos de 2016

Correio da Manhã –Numa altura em que o Brasil se prepara para receber os Jogos Olímpicos, estes incidentes afectam a credibilidade e a imagem do país...

– A violência afecta a credibilidade de qualquer país, não é só a do Brasil. Outros países que vão sediar eventos mundiais importantes têm problemas graves de violência. Não é um fenómeno único. Agora não vou dizer que não afecta a imagem do Rio, claro que afecta, é um motivo de preocupação. No Rio de Janeiro, a política do governo estadual tem sido a de combater os pontos de distribuição de drogas. Houve operações conduzidas com muito êxito, como a que decorreu na região de Dona Marta, e essas operações vão prosseguir.

– O que é que o Brasil pode fazer para garantir a segurança das pessoas que querem ir ao Rio ver os Jogos?

– Não tenho as estatísticas presentes, mas não me consta que tenha havido alguma diminuição do turismo no Rio de Janeiro em função da violência. Acho, inclusive, que apesar de acções como a do fim-de-semana a situação no Rio de Janeiro até tem melhorado. Em sete anos muita coisa pode e deverá ser feita. Há um aumento muito grande do crime relacionado com o tráfico de droga, por isso a polícia do Estado do Rio de Janeiro tem precisamente procurado atingir os pontos de distribuição de drogas. Eu acho que é esse o caminho a seguir.

– Podemos esperar um grande reforço policial por essa altura. Não teme que isso retire um bocadinho o espírito dos Jogos?

– Estamos a fazer especulações com uma coisa que vai acontecer daqui a sete anos. Se recuarmos um pouco no tempo, quem é que imaginaria que na Alemanha teria havido aquela brutal violência contra a delegação de Israel? Daqui a sete anos a situação no Rio estará melhor, com certeza, até porque, quando a cidade se candidatou a organizar os Jogos, sabia que teria de enfrentar a violência.

O presidente Inácio Lula da Silva promete fazer uma "limpeza" entre os narcotraficantes que têm espalhado o terror no Rio de Janeiro, garantindo que não poupará esforços para devolver a paz à capital carioca, palco no fim-de-semana de sangrentos confrontos entre bandos rivais e polícias que fizeram pelo menos 22 mortos.


"Estamos dispostos a fazer todos os sacrifícios necessários para limpar a sujeira que essa gente (os narcotraficantes) impõe ao Rio", declarou Lula, lamentando a imagem negativa que os criminosos dão da capital carioca, escolhida há duas semanas para sede dos Jogos Olímpicos de 2016 e que será também um dos palcos do Mundial de Futebol de 2014. "Tanta, tanta gente trabalhadora e honesta, e meia dúzia de pessoas conseguem ser chefes de outras meias dúzias, criando uma imagem negativa e vitimando inocentes." Lula prometeu ainda que dará "tudo o que o governador (do Rio) precisar" para enfrentar a criminalidade.

O governador, Sérgio Cabral Filho, revelou mais tarde que, de facto, o presidente lhe prometera enviar um novo helicóptero para a polícia e disponibilizar 40 milhões de euros para reequipar as forças de segurança do Rio, cuja inferior capacidade de poder de fogo face aos traficantes ficou mais uma vez bem patente nos confrontos do passado fim-de-semana.

VIDA DO PRESIDENTE EM FILME

No ano em que defenderá a candidatura à chefia do Estado da ministra da presidência, Dilma Roussef, que escolheu pessoalmente para lhe suceder, Lula da Silva vai tentar sensibilizar os brasileiros com a história da sua vida, narrada no filme ‘Lula, o filho do Brasil’, que estreia no início do próximo ano. Dirigido por Fábio Barreto, a película, que custou cinco milhões de euros, vai receber um tratamento de megaprodução. Além de estrear simultaneamente em 400 salas, o filme vai ser exibido também em televisões e em telas improvisadas nas mais remotas localidades do país. O filme narra a vida de Lula desde que saiu do pobre Nordeste e se tornou sindicalista na periferia de São Paulo, até ascender, à quarta tentativa, à presidência do Brasil.

APONTAMENTOS

MAIS UMA VÍTIMA

O cabo Iso Gomes Patrício, de 36 anos, um dos sobreviventes da queda do helicóptero nos confrontos do fim-de-semana, morreu ontem no hospital. Outros três polícias continuam internados.

ARMAS DE GUERRA

A polícia encontrou, em dois locais diferentes, armas de guerra que podem ter sido utilizadas pelos traficantes, inclusive duas antiaéreas que podem ter provocado a queda do helicóptero.

PAES DESVALORIZA

Eduardo Paes, presidente da Câmara do Rio de Janeiro, minimizou os efeitos que a endémica violência nas favelas possa representar tendo em vista os Jogos Olímpicos de 2016.

CARAVANA DE VEÍCULOS

Segundo testemunhas, os traficantes que invadiram a favela Morro dos Macacos chegaram numa enorme caravana de veículos, incluindo dois camiões, nove carros e dezenas de motos.

Sem comentários:

Publicar um comentário