BEM VINDO! Aviso á tripulação! Aqui inicia-se mais um blog neste oceano tão vasto que é a Blogoesfera.Aqui irão ser trazidos e comentados varios assuntos que acho que sejam de salientar. Sintam-se á vontade para participar ,falem bem ou falem mal mas falem Então apertem os cintos.Vai-se iniciar a viagem. .

06/10/2009

Padrinho Berlusconi

A imagem mostra o 1º ministro Berlusconi num jantar de gala.Qualquer semelhança com o filme padrinho do francis ford coppola é so pura coincidencia, ou talvez não.



Então não é que o senhor ministro da justiça do governo de Berlusconi lançou uma lei que confere a Berlusconi imunidade fazendo assim serem suspensos os processos judiciais contra si.Claro que esta lei viola a igualdade dos cidadãos mas tambem ninguem disse que o mundo é justo, e aqui somos todos iguais mas ha-de sempre haver uns mais iguais que outros.Berlusconi por sua vez ja fez anunciar que mesmo que a lei seja considerada anti constitucional ele não se demite,é a lei do quero posso e mando propria de um País onde a Mafia impera e onde pelos vistos nem o 1º ministro escapa.


Em Itália, as atenções estão desde ontem focalizadas no Tribunal Constitucional. Os 15 juízes que o compõem começaram a analisar o chamado ‘Laudo Alfano’, a polémica lei que confere imunidade aos quatro mais altos cargos do Estado e em virtude da qual foram suspensos os processos judiciais contra o primeiro-ministro, Silvio Berlusconi.


O painel de magistrados analisa se a controversa lei, aprovada no Verão do ano passado e que confere imunidade ao chefe de Estado, ao primeiro-ministro e aos presidentes das câmaras Alta e Baixa, é constitucional.

Segundo os media italianos, os juízes estão divididos e a decisão poderá estar na mão dos que ainda estarão indecisos. Recorde-se que em Junho passado a imprensa italiana revelou que dois dos juízes – Luigi Mazzella e Paolo Napolitano – tinham jantado com Berlusconi. A decisão poderá ser anunciada já amanhã, mas se houver divergências poderá levar cerca de duas semanas.

A grande expectativa em relação a esta deliberação deve-se aos processos suspensos contra Berlusconi. Um deles é o caso do advogado inglês David Mills, ex-marido da ministra britânica Tessa Jowell, que foi condenado em Fevereiro por ter dado falso testemunho a favor de Berlusconi em troca de dinheiro. Outro investiga a compra e a venda dos direitos televisivos da Mediaset, de Berlusconi.

Se a lei for considerada inconstitucional, Berlusconi fica numa situação fragilizada, mas já disse que não antecipa as eleições.

VENDA DO AC MILAN IMINENTE

A condenação da Fininvest, de Silvio Berlusconi, poderá levar à concretização da venda do AC Milan, também propriedade do primeiro-ministro italiano, avança o diário desportivo italiano ‘Gazzetta dello Sport’.

Recorde-se que o Tribunal de Milão condenou a Fininvest a pagar 750 milhões de euros ao grupo CIR, propriedade do seu rival Carlo De Benedetti, dono do jornal ‘La Repubblica e da revista ‘L’Espresso’, por danos patrimoniais. Em causa está o suborno de um juiz que permitiu ao grupo de Berlusconi assumir o controlo da editora Mondatori.

Apesar de a Fininvest ter recorrido da decisão e ter tido lucros de 241,7 milhões de euros no ano passado, a venda do AC Milan está agora mais do que nunca sobre a mesa.

APONTAMENTOS

‘LAUDO ALFANO’

A designação da polémica lei de imunidade deve-se ao actual ministro da Justiça italiano, Angelino Alfano.

VIOLA IGUALDADE

Foi o Ministério Público de Milão, onde estão os processos pendentes contra Silvio Berlusconi, que levou a controversa lei da imunidade ao Tribunal Constitucional sob o argumento de que ela viola a igualdade dos cidadãos.

CASO MILLS

Tal como Berlusconi, o advogado britânico David Mills diz-se inocente e recorreu da sentença de quatro anos e seis meses de prisão.

CO-RESPONSÁVEL

O juiz que condenou a Fininvest a pagar 750 milhões de euros ao grupo CIR considerou Berlusconi co-responsável neste caso de corrupção. Mas como o primeiro--ministro foi ilibado por um tribunal criminal no mesmo caso, esta sentença não lhe acarreta quaisquer consequências legais.

Sem comentários:

Publicar um comentário