BEM VINDO! Aviso á tripulação! Aqui inicia-se mais um blog neste oceano tão vasto que é a Blogoesfera.Aqui irão ser trazidos e comentados varios assuntos que acho que sejam de salientar. Sintam-se á vontade para participar ,falem bem ou falem mal mas falem Então apertem os cintos.Vai-se iniciar a viagem. .

30/10/2009

Trânsito pode gerar energia


Cientistas israelitas superaram com sucesso o primeiro teste de um revolucionário sistema para gerar energia eléctrica a partir da pressão exercida pelos veículos sobre as estradas, o que poderá transformar-se numa fonte ilimitada de energia renovável.

Geradores especiais instalados debaixo das estradas, das linhas de caminhos-de-ferro ou até das pistas dos aeroportos podem armazenar energia suficiente dos veículos que transitam nas vias para produzir electricidade em massa. Esses geradores contêm material que produz electricidade mediante a aplicação de força mecânica, como a pressão dos pneus dos carros.

Uma estrada com menos de quilómetro e meio, com quatro faixas de rodagem e com um tráfego de aproximadamente mil veículos por hora, pode criar cerca de 0,4 megawatts de energia, o que seria suficiente para alimentar 600 lares durante um mês.

Este processo, que ficou conhecido como piezelectricidade, tem sido usado em pequena escala, como são exemplo as pistas de dança.

A empresa Innowattech, que vai testar brevemente a sua tecnologia, está também a desenvolver um sistema para recolher energia gerada por peões quando caminham pelo metropolitano e em centros comerciais.

Este tipo de energia gerada pelas pessoas é porém pouco significativa, e a aposta vai centrar-se na energia recolhida da passagem dos veículos. Estima-se que possa alimentar todas as casas de um bairro.

COMO FUNCIONA

As unidades geradoras são colocadas sob o asfalto das estradas ou ruas e a energia acumulada pela sua deformação é armazenada em baterias ao longo da via, para depois ser utilizada localmente ou transferida para a rede nacional. Apesar de serem comprovadamente eficientes, os geradores têm limitações: recolhem fluxos estáveis de electricidade apenas em estradas em que haja tráfego intenso.

Para desenvolver esta tecnologia a empresa Innowattech está a construir uma fábrica-piloto em Israel, que estará pronta dentro de dois a três meses.

COLOCAÇÃO FÁCIL

O asfalto é elástico, e consequentemente a pressão de cada pneu é apanhada pelo gerador soba superfície da estrada. O material piezeléctrico dura pelo menos trinta anos, mais do que a maioria das estradas. O custo da implantação actual dos geradores é de 500 mil euros por quilómetro, o que equivale a cinco mil por kilowatt.

A ENERGIA QUE VEM DAS ESTRADAS

Uma inovadora tecnologia, resultado de muitos anos de pesquisa em Israel, inspira-se nas propriedades dos materiais piezeléctricos, que têm a capacidade de gerar electricidade quando submetidos a pressão exercida pelo peso de veículos automóveis, comboios, aviões a rolar em pista ou até pessoas

1-O asfalto é elástico e a pressão de cada pneu dos carros que passam é apanhada pelos geradores instalados centímetros abaixo da superfície da estrada

2-O material piezoeléctrico gera uma tensão eléctrica quando deformado, captando a energia do movimento. Os geradores são cerâmicos e acusam com extrema rapidez o peso dos veículos

3-A electricidade produzida pelos geradores segue para um sistema de armazenamento. Essa energia acumulada tanto pode ser utilizada localmente como ser introduzida na rede eléctrica geral. Os acumuladores estão localizados de 500 em 500 metros ao longo da via

4-Qualquer pessoa que anda numa rua ao pressionar os passeios preparados com material piezoeléctrico gera cerca de dois mil watts por passada (o suficiente para alimentar as luzes de uma rua)

COMBOIOS

Sob as linhas de caminho-de-ferro também podem ser montados os mecanismos piezeléctricos que produzem energia que será armazenada em acumuladores e depois utilizados na sinalização da via

AVIÕES

Nas pistas mais utilizadas dos aeroportos poder-se-á, com sucesso, colocar sistemas de geradores, dado o grande peso dos aviões

ROBÔS JÁ PODEM TOMAR DECISÃO

Um projecto realizado no Reino Unido defende a ideia de que parte da estrutura molecular humana pode dar aos robôs a capacidade de tomarem decisões. Nos testes realizados em laboratório, neurónios de rato foram inseridos num autómato que passou a movimentar-se de forma a desviar-se de obstáculos. Esta habilidade não foi programada, mas aprendida pelo minicérebro. A próxima etapa envolve o uso de tecido humano.

De acordo com o professor Kevin Warwick, a sua equipa da University of Reading está a tentar desenvolver uma maneira de fundir estruturas moleculares humanas com computadores ou robôs.

Recentemente, criaram um robô que recebeu cerca de 300 mil neurónios de rato, cultivados em laboratório. Os picos de actividade eléctrica dos neurónios foram ligados a saídas de sensores de distância do robô, que mostrou ser capaz de se deslocar sem se encostar às paredes – o organismo deu ao robô uma significativa capacidade de tomada de decisões.

O ‘senso direccional’ do robô foi aprendido pelo pequeno cérebro e não previamente programado por software.

MALAWI PODE SER O BERÇO DA HUMANIDADE

A recente descoberta de ferramentas pré-históricas e restos de hominídeos (membros de uma família de primatas que inclui humanos e seus ancestrais pré-históricos) no norte do Malawi, anunciada por membros da Universidade Goethe de Frankfurt, fornece uma nova prova de que a região pode ser o berço da Humanidade.

O local também contém indícios de dinossauros, que viveram há 100 milhões e 140 milhões de anos, e de hominídeos, que supostamente viveram entre há um milhão e seis milhões de anos.

CAMARÃO INSPIRA FUTUROS DVD

Os olhos de um camarão que vive na Austrália são a chave pa-ra o desenvolvimento de um tipo de leitor de DVD de alta qualidade. Estes camarões são capazes de ver em 12 cores primárias, quatro vezes a capacidade humana, e podem detectar diferentes tipos de polarização da luz (a direcção da oscilação em ondas de luz). Células sensíveis à luz, presentes nos olhos do camarão, actuam como placas que alteram o plano das oscilações das ondas luminosas que passam por elas.

NOTAS

GENE: DIFERENÇAS

O gene responsável pela diversidade entre espécies é também responsável por diferenças dentro da própria espécie, aponta um estudo feito em moscas

'ROSETTA': PASSA PELA TERRA

A sonda ‘Rosetta’ passará pela Terra dia 13 para ganhar energia orbital e iniciar a etapa final da sua viagem até o exterior do Sistema Solar

ORIGEM: METAIS PRECIOSOS

Um estudo agora publicado refere que alguns metais preciosos, como a platina, não têm origem nos processos de formação do Planeta, há 4 mil milhões de anos

CHITA: ANIMAL MAIS RÁPIDO

90 km/h é a velocidade que atinge achita, o mais rápido animal terrestre.A chita corre duas vezes mais depressa do que um atleta velocista


O local também contém indícios de dinossauros, que viveram há 100 milhões e 140 milhões de anos, e de hominídeos, que supostamente viveram entre há um milhão e seis milhões de anos.

CAMARÃO INSPIRA FUTUROS DVD

Os olhos de um camarão que vive na Austrália são a chave pa-ra o desenvolvimento de um tipo de leitor de DVD de alta qualidade. Estes camarões são capazes de ver em 12 cores primárias, quatro vezes a capacidade humana, e podem detectar diferentes tipos de polarização da luz (a direcção da oscilação em ondas de luz). Células sensíveis à luz, presentes nos olhos do camarão, actuam como placas que alteram o plano das oscilações das ondas luminosas que passam por elas.

NOTAS

GENE: DIFERENÇAS

O gene responsável pela diversidade entre espécies é também responsável por diferenças dentro da própria espécie, aponta um estudo feito em moscas

'ROSETTA': PASSA PELA TERRA

A sonda ‘Rosetta’ passará pela Terra dia 13 para ganhar energia orbital e iniciar a etapa final da sua viagem até o exterior do Sistema Solar

ORIGEM: METAIS PRECIOSOS

Um estudo agora publicado refere que alguns metais preciosos, como a platina, não têm origem nos processos de formação do Planeta, há 4 mil milhões de anos

CHITA: ANIMAL MAIS RÁPIDO

90 km/h é a velocidade que atinge achita, o mais rápido animal terrestre.A chita corre duas vezes mais depressa do que um atleta velocista

Sem comentários:

Publicar um comentário