BEM VINDO! Aviso á tripulação! Aqui inicia-se mais um blog neste oceano tão vasto que é a Blogoesfera.Aqui irão ser trazidos e comentados varios assuntos que acho que sejam de salientar. Sintam-se á vontade para participar ,falem bem ou falem mal mas falem Então apertem os cintos.Vai-se iniciar a viagem. .

19/11/2009

E assim vai o País

Analisando as proximas noticias verifiquei que caso um telemovel seja furtado a uma figura publica a policia realiza mega operações para resgatar os mesmos.Que se pode praticar qualquer crime se tivermos um atestado medico passado por alguem que seja nosso conhecido e que nos declare como inimputaveis.E que muitos Gangs de criminosos formam-se com a libertação de criminosos em liberdade condicional.EM relação ao assaltante do telemovel da suposta figura publica que diz"'Mais do que por ela me ter denunciado à polícia, fiquei desiludido com aquilo que li(nas sms do telemovel). Nunca pensei que ela fosse assim.'basta ter olhos na cara para se perceber bem o que ela é, e outra coisa que acho muito estranho é na posse de tanta informação ter pedido so 500 euros para dar o telemovel de volta,ninguem é assim tão inocente.
Em relação as outras duas noticias , Portugal continua cada vez mais um País de inimputaveis e de criminosos muitos deles ajudados e libertados antes do tempo para continuarem a pratica de crimes.

Rita Pereira em operação policial

Quando um chantagista lhe ligou a exigir 500 euros pelo telemóvel, furtado no dia 18 de Outubro, Rita Pereira não hesitou e divulgou a situação à PSP de Cascais.

Com a protecção de polícias à paisana, a actriz acedeu encontrar-se com o homem numa bomba de gasolina em Torres Vedras, no passado dia 8. Quando Rita e o chantagista estavam frente a frente, a polícia entrou em acção, e deteve o indivíduo.

Contactada pelo CM, Carla Duarte, subcomissária da PSP, informou que o homem, na casa dos 30 anos, 'não tem antecedentes criminais' e 'não ofereceu qualquer tipo de resistência' quando foi interceptado pelos elementos da investigação criminal da PSP de Cascais.

'A medida de coacção aplicada ao autor daquele telefonema foi apresentações quinzenais numa esquadra da PSP e a proibição de se aproximar da vítima', disse ao CM a subcomissária. Fica ainda por apurar se o homem que tentou chantagear Rita Pereira é o autor do furto, uma vez que foi ouvido apenas como acusado de extorsão.

Rita Pereira pode assim respirar de alívio, dado que o chantagista ameaçou revelar os conteúdos íntimos do seu telemóvel à Comunicação Social. Contactos, mensagens e fotos pessoais estão agora fora de perigo.

O Correio da Manhã tentou chegar à fala com a actriz, que se mostrou sempre indisponível para comentar a acção policial. Já Tó Romano, o seu agente, não tinha conhecimento da situação. 'Não estou dentro do assunto', afirmou.

Suspeito nega chantagem a Rita Pereira

Quando comprou o telemóvel na Feira da Ladra, em Lisboa, há cerca de um mês, por 200 euros, ‘João’, nome fictício do jovem de 22 anos que é acusado de extorquir dinheiro a Rita Pereira, nunca pensou que acabasse detido. O CM foi ao seu encontro e ouviu a sua versão da história.

'Comprei o telemóvel na Feira da Ladra e não fazia a mínima ideia de que era da Rita Pereira. Quando o liguei, vi montes de fotografias dela e do Angélico é foi aí que percebi. Fiquei com o telemóvel cerca de duas semanas. Até que depois resolvi ligar para a mãe dela a avisar', relata ‘João’.

'Entretanto, a Rita ligou-me e disse que queria o telemóvel de volta. Disse que lhe devolvia, mas ela tinha de me dar 200 euros, o preço que o telemóvel me custou, mais cem euros. Ela disse que me dava uma recompensa e acordámos então 500 euros,' acrescenta o jovem.

Depois de acertarem valores, ‘João’ e Rita marcaram encontrar-se 45 minutos depois nas bombas de gasolina de Torres Vedras, zona onde o jovem vive. 'Ela não apareceu. Passadas duas horas voltou a ligar-me a dizer que já tinha chegado. Foi aí que me algemaram e foram à minha casa revistar tudo.' ‘João’ foi levado para a PSP de Cascais onde passou a noite do dia 8. 'Nunca pensei que me acontecesse isso. Ela sabe que não fui eu que lhe roubei o telemóvel, nem nunca a chantageei. Só fui honesto e disse-lhe que li todo o conteúdo das mensagens. Se fosse outra pessoa podia-lhe ter-lhe estragado a vida porque o conteúdo é muito comprometedor.'

Rita esteve indisponível para comentar estas declarações.

'NÃO ROUBEI O TELEMÓVEL'

Para ‘João’, o conteúdo do telemóvel de Rita Pereira não está a salvo. 'Não fui eu quem roubei o telemóvel. Só o comprei na Feira da Ladra, mas acredito que antes de mim ele tenha passado por muitas outras pessoas. Ele tinha uma capa nova, logo alguém o reparou. Eu não copiei nada para o meu computador, mas outras pessoas podem ter copiado', avança o jovem, que aguarda julgamento por extorsão.

'Nunca pensei que o que eu estava a fazer era crime. É verdade que eu estava a pedir dinheiro à Rita por uma coisa que era dela, mas eu também paguei pelo telemóvel. Eu acreditei na boa-fé dela e ela entregou-me à polícia. Se eu fosse uma má pessoa podia ter divulgado as mensagens', lamenta ‘João’.

ASSALTO EM PALMELA

Rita Pereira foi assaltada a 8 de Outubro, no Castelo de Palmela, quando estava realizar o sonho de uma menina com leucemia. Quando chegou ao carro, depois de ter estado com a criança, tinha o vidro partido e percebeu que não estava lá a mala com todos os seus pertences.

Desolada, a actriz fez queixa na GNR de Palmela. Os documentos nunca foram encontrados, e Rita também já estava sem esperanças de encontrar o seu telemóvel, apesar de ter pedido na televisão para que lhe devolvessem as suas coisas.

MENSAGENS ÍNTIMAS DE ANGÉLICO

Rita Pereira ficou desesperada quando lhe roubaram o telemóvel porque muita da sua intimidade podia ser revelada. A verdade é que a actriz, de 27 anos, tinha razões para estar tão preocupada, uma vez que o seu passado com Angélico está todo retratado no telemóvel.

'O telemóvel tem oito gigabytes de memória interna com conteúdos. As fotos que lá estão com o Angélico não têm nada de mal, mas as mensagens têm coisas muito graves. No total eram 140 mensagens e cerca de 60 eram do Angélico, algumas sobre o final do namoro. Se as pessoas soubessem o seu conteúdo iam ficar muito desiludidas. Ela não é o que toda a gente pensa. Se isto fosse a público arrasava completamente com a vida e com a carreira dela', revelou ‘João’ ao CM, mostrando-se triste com a actriz. 'Mais do que por ela me ter denunciado à polícia, fiquei desiludido com aquilo que li. Nunca pensei que ela fosse assim.'

OUTROS DADOS

EXCLUSIVO

A revista Vidas, do CM, de 24 de Outubro, avançou em exclusivo que Rita Pereira estava preocupada com o facto de as suas fotos e mensagens íntimas caírem em mãos erradas.

OPERAÇÃO POLICIAL

Depois do telefonema de ‘João’, avisando-a de que tinha na sua posse o telemóvel, Rita Pereira contactou a PSP de Cascais para o apanhar.

PRISÃO

Agentes à paisana da PSP detiveram ‘João’ e fizeram uma rusga à sua casa, em Torres Vedras, levando-o de imediato para a esquadra de Cascais, onde passou a noite.

SEM ANTECEDENTES

‘João’ tem 22 anos e trabalha na construção civil. Não tem antecedentes criminais e assim que foi interceptado pela polícia não ofereceu qualquer tipo de resistência. Entre os vizinhos, é conhecido como 'um bom rapaz, muito calmo e amigo da mãe', com quem vive.



Ovar: Violador ‘caçava’ em discotecas
Furava os pneus do carro da vítima, que tinha escolhido entre a multidão feminina na discoteca, e depois oferecia-se para a ajudar. Disponível e atencioso, o homem de 43 anos dava boleia à condutora. Pelo caminho, desviava para uma zona de mato, onde repentinamente se transformava em violador. Fê-lo em pelo menos três casos, mas a PJ do Porto, que o deteve, acredita que pode haver mais vítimas que não tenham apresentado queixa.


Ontem, o violador, reformado e residente em Ovar, foi presente ao Tribunal Judicial de Santa Maria da Feira para ser ouvido em primeiro interrogatório judicial. Ao final da tarde, o juiz decidiu que deveria ser internado compulsivamente numa unidade psiquiátrica.

É que apesar de ter premeditado os crimes que cometeu, o arguido apresentou um atestado médico que o declara inimputável e que terá já usado noutros casos em que foi parar a tribunal. O magistrado não teve outra alternativa.

As violações começaram em Junho deste ano. O homem frequentava espaços de diversão nocturna numa busca incessante de vítimas. Num dos casos, a mulher foi escolhida entre as dezenas que se divertiam na danceteria Semáforo, em Ovar. Outra violação aconteceu após uma noite numa discoteca em Vila Nova de Famalicão.

O arguido – com antecedentes criminais por ofensas à integridade física, burla e crimes contra o património – oferecia-se para dar boleio às vítimas. No caminho, levava-as para uma zona erma onde as violava. No entanto, nunca as terá ameaçado com qualquer tipo de arma, apesar de as sequestrar. Após a violação, abandonava-as no local e fugia.

Três mulheres apresentaram queixa às autoridades policiais. Em dois casos a violação foi consumada, enquanto num deles é acusado de tentativa. Foi levado pela Judiciária a tribunal indiciado pelos crimes de violação, coacção sexual e sequestro.

PORMENORES

ANTECEDENTES

O violador tem antecedentes criminais por ofensas à integridade física, burla e crimes contra o património. Nunca esteve preso por ter uma declaração de inimputabilidade.

ABANDONAVA-AS

As vítimas do indivíduo eram levadas para uma zona erma ou de mato para serem violadas. Depois eram abandonadas no local.

SEIS MESES

Em Maio, surgiu a primeira queixa de uma mulher que foi vítima do violador.

Costa de Caparica: Usa condicional a roubar e violar

A jovem de 24 anos seguia para casa, na Costa de Caparica, Almada, quando um pequeno toque na traseira do carro a obrigou a parar. Saltaram-lhe logo ao caminho cinco jovens, um com 14 anos, que a enfiaram na mala do seu automóvel e fizeram dela uma das cinco vítimas de sequestro, roubo e violação. O cabecilha do gang, aos 20 anos, cumpriu pena por crimes idênticos há apenas quatro anos e estava em liberdade condicional – concedida no início de 2009 – quando fez mais esta vítima.


Residente no bairro Terras da Costa, em Almada, o cabecilha começou aos 11 anos no furto a viaturas. Com 16, sequestrou uma mulher, violou-a e roubou-lhe os cartões de débito, tendo sido preso pela PSP dentro de um banco.

Saiu em condicional, formou o actual gang com mais quatro elementos, mas a PSP prendeu três em Agosto, após o último sequestro. A PJ de Setúbal anunciou ontem ter apanhado os outros dois. A última vítima recordou na altura ao CM que o gang até a obrigou "a fazer as necessidades".

Em Julho, e só em dois dias, os cinco sequestraram três mulheres. Sob ameaça de uma pistola, foram metidas nos porta--bagagens dos respectivos carros e obrigadas a dar códigos dos cartões multibanco. No total, foram cometidos cinco crimes quase semelhantes. Uma mulher foi violada; as outras quatro molestadas sexualmente.


Sem comentários:

Publicar um comentário