BEM VINDO! Aviso á tripulação! Aqui inicia-se mais um blog neste oceano tão vasto que é a Blogoesfera.Aqui irão ser trazidos e comentados varios assuntos que acho que sejam de salientar. Sintam-se á vontade para participar ,falem bem ou falem mal mas falem Então apertem os cintos.Vai-se iniciar a viagem. .

04/11/2009

Portugal País de inimputaveis.




A mulher que matou o ex namorado despejando-lhe acido sulfurico levando-o á morte depois de ainda sofrer durante 23 dias foi considerada maluquinha e por isso inimputavel isto depois de ja ter tido dois julgamentos onde foi condenada a quase 8 anos de prisão, o supremo anulou e resolveu manda-la para casa.Um crime que foi premeditado ao mais infimo pormenor, atraindo a vitima e levando acido sulfurico para o local do crime e sai em liberdade, de certeza que a familia da vitima vai ficar contentissima com esta medida.
Portugal, continua a ser um paraíso para criminosos e pseudo doentes.Não mudem a lei e não a comecem a aplicar correctamente que cada vez mais as pessoas desacreditam da justiça e qualquer dia começam a resolver elas pelas proprias mãos, devia ser meu familiar que eu dava-lhe a inimputablidade.


Absolvida mulher que matou ex-namorado com ácido
O Tribunal de Leiria absolveu, esta tarde, a mulher que foi julgada por ter despejado ácido sulfurico sobre o ex-namorado, causando-lhe a morte, em Maio de 2001.


Com base nos novos relatórios psiquiátricos, o Tribunal considerou a arguida, Fátima Velosa, inimputável, o que determinou a sua absolvição.

Esta foi a terceira vez que o caso foi julgado no Tribunal de Leiria, por as decisões anteriores terem sido anuladas pelo Supremo Tribunal de Justiça.Nos julgamentos anteriores, Fátima Velosa tinha sido condenada a sete anos e nove meses de cadeia.

Na sessão que decorreu a 23 de Outubro, Fátima disse estar arrependida do que fez: 'Estou arrependida. Se pudesse voltar atrás não o tinha feito', disse na altura ao presidente do colectivo de juízes, embora não revelando qualquer sinal de emoção.

Fátima Velosa, de 29 anos, atraiu o ex-namorado, Nuno Mendes, de 24 anos, para um pinhal, onde o atingiu com ácido sulfúrico por este ter terminado a relação amorosa. A vítima morreu 23 dias depois nos Hospitais da Universidade de Coimbra.

Leiria: Mãe de rapaz morto com ácido revoltada com a justiça
“Fico destroçada”
"Como é que uma pessoa que mata outra sai do Tribunal sem uma condenação e ainda por cima protegida pela polícia?" Elizabete Silva, mãe do rapaz assassinado com ácido sulfúrico pela ex-namorada, em Maio de 2001, em Leiria, não consegue esconder a revolta que voltou a tomar conta do seu coração.

"É a coisa mais injusta ao cimo da terra. Tinha uma ligeira esperança de que fosse feita Justiça, mas agora chego à conclusão de que não há justiça no nosso país. Foi mais um desgosto", desabafou a mulher ao CM, com a voz embargada.

"Este processo foi uma vergonha, há pessoas que me abordam, revoltadas, a prestar solidariedade. Algumas até choram à minha frente", adianta.

E encara a possibilidade de recorrer ao Tribunal Europeu, numa última tentativa de amenizar o sofrimento.

"Tenho o coração destroçado, mas não posso parar", sublinha, afirmando-se inconsolável por ver a "assassina" do filho em liberdade. "Se foi dada como inimputável, devia ser internada", reclama. Porém, o Tribunal de Leiria assim não o entendeu por já terem passado oito anos desde a data do homicídio.



Sempre que leio noticias de pedofilos assumidos e acusados que acabam por sair em liberdade lembro-me do caso Casa Pia e no que este País se transformou depois de este caso ter sido descoberto (lembrar que a lei da prisão preventiva mudou so para se poder libertar os acusados deste caso)e no que a nivel de justiça se continua a fazer so para no fim se poder dar a absolvição.

Abusa de três em garagem
A troco de guloseimas e sumos, um ex-militar das Forças Armadas, de 77 anos, atraiu três meninas, de 11, à garagem da sua casa, em Miranda do Corvo, e abusou delas. Num dos casos tentou a violação. A PJ de Coimbra anunciou ontem a detenção do pedófilo, mas o tribunal mandou-o em liberdade.


Os crimes foram cometidos em dois dias, em Agosto e Setembro, e as vítimas são vizinhas do reformado, que agiu sempre da mesma maneira: abordou as meninas na rua, aliciou-as e levou-as para a garagem.

É acusado de ter baixado as calças, despido as menores da cintura para baixo e de as apalpar. Num caso terá encostado o pénis à vagina da vítima – “roçou-se, mas não conseguiu a penetração”, porque ela começou a gritar e fugiu.

Num dia foram abusadas duas das crianças, mas a segunda conseguiu fugir, ainda quando estava a ser despida, e contou à mãe. Os pais foram de imediato apresentar queixa contra o reformado na GNR de Miranda do Corvo, que as encaminhou para o Ministério Público e para a Judiciária.

No decurso das investigações foi reunido um “conjunto de provas” que atestam “a veracidade das queixas realizadas contra o suspeito”, revelou ontem ao CM fonte policial. Mas o Tribunal de Coimbra decidiu mandá-lo em liberdade com apresentações diárias às autoridades e proibição de contactar com as vítimas.

Sem comentários:

Publicar um comentário