BEM VINDO! Aviso á tripulação! Aqui inicia-se mais um blog neste oceano tão vasto que é a Blogoesfera.Aqui irão ser trazidos e comentados varios assuntos que acho que sejam de salientar. Sintam-se á vontade para participar ,falem bem ou falem mal mas falem Então apertem os cintos.Vai-se iniciar a viagem. .

28/11/2009

Todos Farinha do mesmo saco

Com as eleições Presidenciais cada vez mais proximas ja começa a lufa lufa da atribuição de condecorações ás mais altas figuras estatais com vista a com isso conseguirem apoios e mais uns votos no dia de eleições.Desta vez foi a altura de um Chinês condenado por auxilio á imigração ilegal ter a sua condecoração.Se Mario Soares no fim do seu mandato deu a amnistia aos FP25 se o jorge sampaio dava medalhas a todos e a mais alguns ate os u2 levaram medalha , Cavaco Silva não fica atras e vai de dar tambem condecorações.
Todos Farinha do mesmo saco.

Guoping foi condenado há 15 anos por auxílio à imigração ilegal
Cavaco condecora chinês com cadastro
O Presidente da República condecorou na terça-feira um cidadão chinês com cadastro. Jin Guoping é considerado um dos maiores especialistas no estudo das relações históricas entre Portugal e China e há 15 anos foi condenado em Portugal pelo crime de auxílio à imigração ilegal, refere a TSF.


No entanto, ninguém sabia que Jin Guoping não tinha o registo criminal limpo. Agraciado com a Ordem do Infante D. Henrique, Guopin foi condenado em 1994 por ser o líder de uma rede de auxílio à imigração ilegal na Península Ibérica, que tentava passar cidadãos chineses para os Estados Unidos.

O então tradudor de chinês e português reclamou a inocência, mas o tribunal condenou-o a 15 meses de prisão com pena suspensa.



O Presidente da República, Cavaco Silva, vai manter a condecoração ao cidadão chinês condenado em Portugal, há 15 anos, por auxílio à imigração ilegal. Jin Guoping, historiador ligado à Fundação Macau, foi condecorado terça-feira com a ordem do Infante D. Henrique, sem que ninguém soubesse que o seu registo criminal não estava limpo.


A Presidência considera que os factos ocorridos há 15 anos “em nada alteram a apreciação do Conselho das Ordens sobre os méritos que Jin Guoping realizou em favor da cultura portuguesa” e mantém, por isso, a condecoração.

O historiador foi condenado em 1994 por liderar uma rede de auxílio à imigração ilegal que tentava passar cidadãos chineses para os EUA. O seu nome foi proposto por Narana Coissoró, membro do Conselho das Ordens.

Sem comentários:

Publicar um comentário