BEM VINDO! Aviso á tripulação! Aqui inicia-se mais um blog neste oceano tão vasto que é a Blogoesfera.Aqui irão ser trazidos e comentados varios assuntos que acho que sejam de salientar. Sintam-se á vontade para participar ,falem bem ou falem mal mas falem Então apertem os cintos.Vai-se iniciar a viagem. .

17/11/2009

Zé Povinho

Queres Subsidios?

Enquanto uns se matam a trabalhar sem grandes ofertas da parte do estado outros preferem continuar no Dolce Faire Niente á conta dos subsidios porque para trabalhar para receberem 500 euros mais vale não fazerem nenhum e receberem do estado 700 euros.E é com esta mentalidade entranhada na nossa sociedade que andamos onde mais vale criticar apoiando-se no que esta mal e fazer parte do Sistema viciado do que arregaçar as mangas e lutarem por um País melhor o que tambem em grande parte se deve a não haver controlo dos orgãos competentes.É a conta de tantos parasitas da sociedade ,começando nas classes mais altas e acabando nas baixas, que cada vez mais este País vai sendo empurrado para o fundo.


Padarias atacam RSI

O Rendimento Social de Inserção faz concorrência desleal ao nosso sector. E é cada vez mais difícil contratar pessoas, porque muitas preferem viver do subsídio a ter de trabalhar numa padaria. Acham mais vantajoso", disse ao CM Carlos Alberto dos Santos, líder da Associação do Comércio e da Indústria de Panificação. A crítica do presidente da ACIP à Segurança Social consubstancia-se na falta de 20 a 30 por cento de mão-de-obra no sector.


'Há pessoas que chegam às entrevistas e que recebem 700 euros de rendimento mínimo. Não lhes compensa trabalhar e preferem ficar em casa', afirma o dirigente. Os salários médios nesta área estão fixados entre 500 e 600 euros.

Mas o rol de acusações em relação ao RSI continua. 'Há muitas pessoas que auferem esses subsídios e que vêm às padarias só para que assinemos os papéis e assim demonstrarem que estão à procura de emprego', contou Carlos Alberto dos Santos.

O presidente da ACIP, que também é proprietário de dois estabelecimentos em Arganil e Santa Comba Dão, revelou que ainda tentou combater esta situação. 'Não concordo com isso. Mas a verdade é que se nós não assinarmos os papéis estamos a perder clientela. Em meios mais pequenos isso acontece muito.'

Outro problema para o líder desta associação é a dificuldade em manter a mesma equipa durante três meses. 'Temos dificuldade em perceber o que poderá motivar as pessoas para trabalharem', disse.

SALÁRIOS NÃO SÃO ATRAENTES

'Já me apercebi de que há pessoas que vêm às entrevistas e que não estão muito interessadas em trabalhar. Não o dizem directamente, mas afirmam que não estão receptivas ao que oferecemos', disse ao Correio da Manhã Miguel Gonçalves, um dos sócios da padaria Jamor, no Porto.

O salário para alguém que inicie funções é de 465 euros, que 'pode aumentar caso o funcionário revele ser adequado para as funções'. Problemático tem sido arranjar pessoas para postos específicos, como padeiro. 'Quando colocamos um anúncios a muito custo nos apareceu um candidato', disse Miguel.

PÃO NÃO VAI AUMENTAR NO PRÓXIMO ANO

Em 2010, os consumidores podem estar descansados, porque pelo menos no pão não vão ter de desembolsar mais dinheiro dos.A certeza é dada por Carlos Alberto dos Santos, presidente da Associação do Comércio e da Indústria de Panificação, e o motivo é a estabilidade dos preços em termos internacionais dos combustíveis e também dos cereais. 'Neste contexto, não há razões para aumentar o preço', afirmou. Miguel Gonçalves, sócio há nove anos da padaria Jamor, no Porto, partilha da mesma visão do líder associativo. 'Ao contrário do que aconteceu no ano passado, com a subida da gasolina e das matérias-primas, este ano nada disso está a acontecer', assegurou. Recorde-se que o consumo de pão caiu mais de 15 por cento, em Portugal, nos primeiros cinco meses deste ano.

PORMENORES

FALTA MOTIVAÇÃO

Carlos Alberto dos Santos,da ACIP, afirmou ao ‘Correioda Manhã’ que sente que actualmente as profissões ligadas à panificação são ostracizadas, num sector em que nove mil empresas empregam 95 400 pessoas.

RENDIMENTO MÍNIMO

No passado mês de Setembro eram 379 849 as pessoas(ou 148 377 famílias) que usufruíam desta prestação social.

DESEMPREGO

A taxa de desemprego atingiu os 9,1 por cento no segundo trimestre do ano. Segundoo INE, há neste momentoem Portugal 507 mil pessoas sem emprego.

Sem comentários:

Publicar um comentário